Arquivos

Crítica do filme: Okja, Netflix

Se você:
-possui ou já possuiu um animal de estimação querido,
-se você tem dúvidas quanto a indústria alimentícia das carnes e já pensou em tornar-se vegetariano,
-se você já é vegetariano ou
-um ser humano um pouco mais sensível,

a experiência de assistir ao filme Okja, da Netflix, será extremamente complicada para não dizer dolorosa.
Não me entendam mal, o filme é lindo, possui uma fotografia maravilhosa, um roteiro com bom ritmo, personagens carismáticos, efeitos especiais fantásticos, uma protagonista que apesar da pouca idade segurou o papel com excelência e uma boa história. Mas é triste, muito triste.

Pessoalmente achei algumas cenas apelativas ao extremo, mas entendo que este era o intuito da produção, “desromantizar” o processo industrial pecuário. E o final me incomodou a bastante, eu esperava sinceramente que mais fosse feito (não direi mais para não dar spoilers). Chorei feito criança, fiquei mal depois de assistir e não consigo comer carne vermelha desde então – o que me leva a ressaltar algo que a própria Netflix já fez: definitivamente não é um filme para crianças. Papais e mamães de plantão, Okja não é uma opção ok?!

Em tempo, vale a dica: assistam ao documentário Cowspiracy, que infelizmente não é ficção.

cowspiracy-a-verdade-que-nao-querem-contar-e-sobre-a-qual-nao-queremos-saber.html

Leitura indicada: curso de Escrita Criativa

Imagem5

Alguns de vocês me perguntaram quais livros eu estou usando no curso de Escrita Criativa, então resolvi fazer este post! Tenho estudado três livros e são eles:
– Para ler como um escritor, Francine Prose: foi indicado pelo curso e é um guia bem didático, com tópicos e exemplos de grandes obras literárias. Tem um ótimo conteúdo! E é o que eu indico para quem quer começar a ler algo a respeito!
– Palavra por palavra, Anne Lamott: ganhei de presente e nele a autora da dicas e aborda diversas questões (como o bloqueio por ex), ao mesmo tempo que conta sua história com a escrita. Incentivador!
– Escrevendo com a Alma, Natalie Goldberg: também ganhei de presente, e tem uma dinâmica muito semelhante à do livro anterior, mas possui mais “ensinamentos didáticos” que o outro. Apesar de ter uma tipologia mais bibliográfica que os outros dois, é considerado um dos livros obrigatórios para quem quer escrever, chegando a ter 1milhão de cópias vendidas. Ironicamente, foi o que menos me empolgou dos três.
Caso vocês tenham outras indicações por favor me falem! Aceito e quero muitas sugestões sobre o assunto! Obrigada e espero ter ajudado! Bjos!!!!

Gypsy, a nova série da Netflix.

Está disponível na Netflix a série Gypsy. Criada por Lisa Rubin e com Naomi Watts no papel principal, a trama conta a história de Jean Halloway, uma psicóloga renomada e que aparentemente possui uma vida estabilizada; casada com o advogado Michael Halloway, com quem tem uma filha, Jean começa a desenvolver relacionamentos ilícitos e conturbados com seus pacientes e pessoas ligadas à eles.
Com 10 episódios, o thriller psicológico mostra uma mulher tomando atitudes extremas e sucumbindo ao desejo – algo que pode colocar tudo a perder.
Apesar de uma certa implicância com a atriz, estou curiosa sobre a série, me interesso bastante por suspenses inteligentes, o que me parece ser o caso. À conferir!

Sense 8 retornará para um episódio final de duas horas!

@netflixbrasil@netflix confirmou e @sense8 voltará para um episódio final especial de duas horas! Felicidade para os fãs, que assim como eu, queriam respostas (e o Wolfgang a salvo❤️)!

Ponto pra netflix que ouviu as milhões de reclamações dos fãs – especialmente brasileiros – e decidiu dar um fechamento para a série!

Agora é só aguardar!

Minha vida fora dos trilhos, Clare Vanderpool – Darkside Books

Imagem3

Estava devendo para vocês a minha compra de sábado na @blooks do Espaço Itaú de Cinemas de Botafogo. Mais uma vez fui atraída pela capa e surpresa! – era edição da Darkside. O Livro “Minha vida fora dos trilhos” da escritora americana Clare Vanderpool, autora de Em Algum Lugar das Estrelas.

O livro conta a história de Abilene Tucker, uma corajosa menina de apenas 12 anos, que busca encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, local para onde foi enviada por seu pai em uma viagem de trem, para passar o verão. Poderiam ser férias muito solitárias entediantes, Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças, algo que se torna um tesouro, onde segredos ligam Manifest. Então, a narrativa divide-se em duas: passado e presente, trazendo magia ao enredo.

A edição é linda, conta com mapas, cartões e imagens ilustrando a história e também, uma playlist no Spotify! O livro faz parte da coleção Darklove da editora, com foco em grandes autoras e histórias! E eu não vejo a hora de começar a leitura!

OKJA, novo filme da Netflix

18486350_1286934208069268_3997232685207402378_n

Estreia hoje o filme OKJA, produção que disputou a Palma de Ouro, em Cannes. Dirigido por Bong Joon-ho e produzido pela Netflix, o filme conta a história de Mija, uma menina que luta para salvar OKJA – uma nova espécie animal geneticamente modificda, apelidada de “super pig” – de ser sequestrada por uma grande e gananciosa multinacional.

A empresa pretende explorar OKJA com concursos, premiações e novas pesquisas para a indústria alimentícia. No elenco estão Tilda Swinton, Jake Gyllenhaal, Paul Dano, Lily Collins e Giancarlo Esposito, dentre outros.

O filme com uma pegada “fantástica” e um trailer que remete à “História sem Fim”, é uma produção sul-coreana-americana e foi escrito por Bong e Jon Ronson. Estou bastante ansiosa para assistir e em breve conto para vocês minha opinião! Confiram!

*Post publicado em 28 de junho de 2017

The Handmaid’s Tale, nova série do Hulu

The-Handmaids-Tale

Precisamos falar sobre The Handmaid’s Tale, a nova série do Hulu, plataforma similar ao Netflix. Baseada no livro “O Conto da Aia”, lançado em 1985 por Margareth Atwood, a série encerrou recentemente, sua 1ª temporada de 10 episódios com louvor. A história –uma distopia – acontece nos EUA, em um mundo pós-terrorismo onde mulheres encontram inúmeras dificuldades para gerar filhos.

Após um atentado terrorista assassinar o Presidente e outros importantes políticos, uma facção católica extremista toma o poder, transformando o país na República de Gilead. Um regime totalitário e patriarcal baseado nas leis do antigo testamento é implementado, extinguindo os direitos das minorias e mulheres. Neste contexto e com base nas passagens bíblicas, é criada a categoria de “aias”, mulheres férteis cuja única função é procriar.

A personagem principal da série é Offred/June, interpretada maravilhosamente por Elisabeth Moss (merecedora do Emmy, sem dúvida alguma!). Capturada enquanto tentava fugir para o Canadá com seu marido e filha, June torna-se uma Aia, após um rigoroso treinamento envolvendo torturas físicas e psicológicas. Designada para um comandante do alto escalão, passa a se chamar Offred, e é daí que a história se desenrola.

O elenco que conta com nomes como Alexis Bledel (Rory Gilmore), Joseph Fiennes, Samira Wiley (a saudosa Pussey de OITNB), e Ann Dowd dentre outros, é excelente em sua totalidade, com todas as atuações dignas de destaque. Bem escrito, bem dirigido e com uma fotografia impecável, The Handmaid’s Tale vem ganhando grande destaque não apenas pelos motivos já citados, mas também pelas questões feministas e sociais abordadas, principalmente com o conturbado cenário político dos EUA de Trump.

Vejam a série e tirem suas conclusões. Em breve começarei a leitura quase obrigatória do livro – e claro, contarei para vocês o que achei. Assistam!
Ps. Destaque para o ep8, melhor cenografia e trilha sonora + direção que vi em muito tempo!

25handmaid-slide-OKAV-master768

Crítica do filme: O Círculo, Dave Eggers

The-Cirlce

Mesmo não gostando de ver adaptações literárias para o cinema antes de ler o livro, devido à falta de tempo, fui assistir “O Círculo” sem ter feito a leitura. Com elenco conhecido – Emma Watson, Tom Hanks, John Boyega – e direção de James Ponsoldt, a adaptação da história de Dave Eggers traz como tema principal a discussão entre público x privado na era das redes sociais. A obra conta a história de Mae, uma jovem que consegue a oportunidade de trabalhar no “Círculo”, empresa do Vale do Silício, aos moldes de Google/Facebook, mas que reuniu tds as redes em uma só, unificando todo o sistema. A plataforma obtém o controle de toda e qualquer informação dos seus usuários.
Fui assistir ao filme empolgada, pois o tema é interessante e sou fã da Emma Watson. Mas infelizmente, tive umas das maiores decepções no que diz respeito ao cinema. Sério, o filme é horrível! Atuações sofríveis de quase todos os atores, enredo pobre e previsível, diálogos tenebrosos, e ares de “1984” teen. Qdo a história finalmente tem um turnover, sinalizando uma melhora, o filme simplesmente acaba. Saindo da sala de cinema, vi os olhares constrangidos das pessoas embasbacadas em perder 2hrs de suas vidas assistindo “aquilo”. Mas ainda não havia desistido do livro.
Li mais de 20 resenhas, e qse todas tinham em comum a seguinte frase: “o livro não é bom, a narrativa é arrastada, mas a discussão proposta é importante”. Gente, que a discussão é importante ninguém duvida, Black Mirror (Netflix) ta aí esfregando isto na nossa cara. Então, ler um livro de mais de 500 pgs somente pela temática proposta estava me incomodando, até que encontrei a crítica feita por Camila von Holdefer (www.camilavonholdefer.com.br)e sou muito grata a ela por sua sinceridade e competência. Sem rodeios, Camila dissecou a obra de Eggers, julgando-a ser o rascunho de algo maior, que duvida da inteligência do leitor e conta com cenas de sexo (que o filme não abordou) constrangedoras. Diante de seus argumentos nítidos e concisos, decidi não fazer a leitura.
Pode ser que em algum momento eu mude de opinião, mas por ora, assistir a um dos piores filmes que já vi foi o suficiente sobre O Círculo por um bom tempo. Vamos em frente!

To the Bone, novo filme da Netflix com Lily Collins

Sou fã confessa da @lilyjcollins desde “Espelho espelho meu” (me julguem!) então fiquei muito feliz quando, esta semana, a @netflix@netflixbrasil divulgou o trailer de To the Bone @tothebonemovie .

O filme conta a história de Ellen (interpretada por Collins), uma garota que luta contra a anorexia. O elenco possui outros nomes de destaque como Keanu Reeves, Liana Liberato e Alex Shap.

O drama, com direção de Marti Noxon de Objetos Cortantes, estreia em 24 de julho! Vamos aguardar!