Review: American Horror Story – Apocalypse – EP04: “Could It be… Satan?”

01

Vou ser bem sincera com vocês; não to gostando do rumo que as coisas estão tomando em AHS. Não fiquei muito feliz com o episódio 4, mas concordo que ele foi necessário para entendermos a história de alguns personagens. Preciso destacar como super ponto positivo um “crossover” bonus que ganhamos e o flashback de 3 anos antes da bomba! Vamos aos tópicos e aquele – ALERTA SPOILERS – de sempre:

  • Feitiço de esquecimento: Logo no início do episódio, o telespectador é informado que as bruxas – Coco e Mallory –  estavam sobre um “feitiço de esquecimento” durante o apocalipse para sua segurança – logo, elas não tinham consciência que eram bruxas. Já Dinah sempre soube que era bruxa, mas ela não faz parte do coven, descende das bruxas “vudu” e já deixou claro que não fará nada para ajudar Cordelia, quer simplesmente se salvar.  Após a cena inicial que termina com Michael confrontando verbalmente as bruxas dentro do Posto, voltamos no tempo para 3 anos antes da bomba/fim do mundo. Ps: Preciso dizer que amei à referência à Game of Thrones na fala de Myrtle!!!
  • Mead x Michael: Vimos o início e o desenvolvimento da relação entre a Mead (humana) e Michael, o que aliás colocou por terra as teorias de que seria Constance a pessoa usada como inspiração na programação da Mead (robô). Tivemos um relance do que foi a infância e adolescência de Michael, indo de um lar adotivo a outro (vai aí uma suposição minha: acredito que Constance tenha sido presa ao final de Murder House e o menino entregue ao sistema, mas isso provavelmente será explicado no ep6), até que finalmente Mead – uma adoradora do Sata – o encontra, e lhe oferece “um verdadeiro lar”, tornando-se sua mãe adotiva até à ida de Michael para a escola Hawthorne.
  • Michael Langdom x Voldemort: Se você é fã de Harry Potter vai entender o que eu estou falando; salvem as diferenças óbvias, me incomodou muito que a trajetória de Michael até o colégio para feiticeiros – Hawthorne – e que a forma como ele se desenvolveu lá dentro tivessem tantas semelhanças com a história de Tom Riddle, contada por J. K. Rowling. Achei muito clichê esse argumento de “bruxo do mal extremamente habilidoso é descoberto e convocado por professores da escola de magia, os impressiona, e depois acaba matando todo mundo com argumentos completamente insanos e sede por poder”, e está aí o motivo pelo qual não gostei do episódio. Porém sempre dou votos de confiança para Ryan Murphy, então aguardemos.
  • Mallory: quase simultaneamente ao momento em que Michael ingressa na Escola Hawthorne, assistimos e evolução dos poderes de Mallory durante suas aulas com Violet no coven feminino, e como a mesma se destaca, impressionando até mesmo Cordelia. Algumas teorias já circularam na internet, supondo até que ela seria descendente de Jesus e “a opção” mais certa para enfrentar Michael, ou até mesmo de que ela poderia se tornar uma Suprema mais poderosa que Cordélia. Eu prefiro esperar para especular, acho que ainda sabemos pouco da personagem, mas já foi dito que a linhagem dela vem desde Salem, ou seja, sua família é bem antiga no mundo bruxo.
  • Os poderes de Michael x futuro Alfa: durante o episódio foi explicado que os homens estão abaixo das mulheres na hierarquia do Coven, porque possuem menos poderes e capacidade de desenvolve-los que elas. Como Michael possui mais habilidades que qualquer outro no grupo do coven masculino, o conselho feminino é convocado para lhe aplicar o teste das Sete Maravilhas, de forma que possa se provar que ele é o futuro Alfa – alguém com poderes e capacidades iguais à Suprema, e que supostamente estaria acima dela na hierarquia geral de Coven. É importante frisar que fica claro – diferente do que pensam a maioria dos professores – que Michael tem sim controle dos poderes dele, e sabe exatamente quando e como usa-los para fazer o mal; isto ficou bem nítido na minha opinião, mas vocês sabem, nesta temporada está difícil ter certeza de algo em AHS.
  • Discordâncias entre covens masculino x feminino: Vimos que a exposição de Cordelia ao mundo no final da temporada de Coven trouxe grandes problemas para os homens, que foram perseguidos e precisaram se mudar para o subterrâneo, para o local que conhecíamos antes como sendo atualmente, o Posto. Durante a reunião, Cordelia não aceita aplicar o teste das Sete Maravilhas em Michael, primeiro porque duvida que um homem possa ter poderes para sobrevier aos testes, e segundo porque carrega a culpa da morte de Misty Day. É perceptível que há um desprezo enorme das bruxas para com os feiticeiros, quase como se elas os considerassem seres inferiores. Uma bela sacada para a “crítica”  sempre feita por Ryan Murphy.
  • Hotel: Durante a reunião, Cordelia é acusada de ter abandonado Queenie, e começa mais um “crossover”, onde vemos Cordelia indo até o Hotel e fazendo de tudo para livrar Queenie do local mas, falhando. Para quem não lembra, durante a temporada de Hotel, Queenie é morta pelo espírito de Patrick March, personagem de Evan Peters, e sua alma fica presa no local. Foi uma surpresa positiva assistirmos à Hotel novamente, e também revermos Peters como March.
  • A ousadia de Michael: Diante da recusa de Cordelia em aplicar-lhe o teste, Michael usa seus poderes e em questão de minutos tira Queenie do Hotel e Madison de seu inferno particular (aliás vimos cenas “maravilhosas”em toda a sequencia do inferno de Madison!). Sinceramente, não entendi porque ele também não buscou a Misty, mas ainda tem muito para acontecer e ser explicado até o fim da temporada. Terminamos o episódio com as bruxas indo embora do colégio após a reunião – Cordelia já sentindo-se um pouco mal sem saber o motivo – e dando de cara com Michael, Queenie e Madison do lado externo da escola. Cordelia desmaia e Michael da uma “pequena” e ofensiva amostra dos seus poderes, no melhor estilo “fiz em minutos o que você fracassou em fazer” durante tempos.

Bom vamos aguardar e ver o que o episódio de amanhã nos reserva, mas está se desenhando o que todo mundo esperava: um guerra entre “bem e o mal”, entre “ceu e inferno”, e o meu palpite mais forte desse review de hoje é que Mallory terá um papel muito importante na tentativa de derrotar Michael. Vamos conferir e como sempre comentem suas impressões e teorias!!! Adoro ler!!!! Até mais queridos!!!!

apocalypse-episode-4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *